23-05-2016

ARESE ABRE “IL CENTRO”, O MAIOR CENTRO COMERCIAL DE ITÁLIA:

A NOVA FRONTEIRA DA “SHOPPING EXPERIENCE”




“O hipermercado do futuro, ou seja, a praça do mercado de há 500 anos atrás”. Não é uma contradição mas o fruto de um projeto futurista de Marco Brunelli, patrão do Grupo Finiper, assinado por Davide Padoa, diretor executivo da Design International, e pelos arquitetos Michele De Lucchi e Arnaldo Zappa. No local onde se erguia a histórica fábrica da Alfa Romeo, surge agora “Il Centro” de Arese: 92.000 mq e 250 unidades, o maior centro comercial de Itália e um dos maiores da Europa. Imensos espaços abertos e arejados, máxima transparência, luminosidade, leveza e materiais naturais, como a madeira e o vidro, são os elementos chave de uma obra de reconversão arquitetónica tão inovadora quanto imponente, tendo em vista a bio-sustentabilidade e poupança energética, inspirada no sistema de pátios múltiplos que caraterizam as quintas lombardas de outrora. 

 

O coração do Centro, inaugurado no passado mês de abril, é o “IPER MONTEBELLO”, distribuído por uma área de 9.000 mq e que o diretor, Marco Ruzza, descreve como fruto da procura de novos caminhos para valorizar os tradicionais pontos fortes de Itália e, ao mesmo tempo, simplificar o momento das compras, transformando-o numa experiência de compra consciente e partilhada, que conduz à descoberta de um mundo extraordinário de sabores e saberes. Um conceito que se traduz num modelo inteiramente baseado num sistema de ilhas temáticas, onde se pode escolher, comprar mas também assistir à produção e transformação do produto e conhecer os seus segredos. Sem prateleiras ou estantes até ao teto, a limitar o acesso à mercadoria e a obstruir a visão: tudo é aberto, transparente, como é direta e imediata a relação entre clientes e funcionários, sempre à disposição para dar esclarecimentos sobre os produtos, as suas caraterísticas e utilizações possíveis.

Nesta lógica, inclui-se a significativa intervenção de decoração personalizada, realizada pela ARNEG - mais uma vez chamada a prestar a sua colaboração num prestigioso projeto de reinterpretação do espaço de compras da GDO - estudando soluções à medida inovadoras, personalizações com materiais de excelência e acabamentos especiais, em sintonia com a filosofia de construção. Uma filosofia que se traduz num desenvolvimento arquitetónico horizontal, expositores abertos que retomam a lógica das bancas de mercado, estruturas baixas (altura máxima 2,05 m), para garantir acessibilidade e visibilidade máximas e forte sensibilidade para o elemento natural, interpretada em materiais como a madeira e o vidro, que exprimem leveza, vitalidade e continuidade com o ambiente exterior.

Em especial, a grande valorização dos frescos - colocados em posição privilegiada no ponto nevrálgico do hipermercado - encontra na ARNEG, líder dos sistemas de refrigeração comercial, uma importante aliada. A começar pela zona das carnes, onde a qualidade dos cortes é salientada por uma exposição ideal, na montra GLASGOW, com prestigiosos acabamentos de mármore em homenagem aos balcões de talho tradicionais. Também as CÂMARAS FRIGORÍFICAS, onde são conservadas e deixadas em cura as meias-carcaças, são personalizadas: de vidro, completamente à vista, deixam vislumbrar uma parede cenográfica feita com o sal rosa cristalino dos Himalaias. Uma extraordinária imagem complementada pela presença de um CEPO CIRCULAR circundado por uma proteção de vidro que, no centro da área, se torna o foco de um percurso alimentar de excelência: é aqui que os profissionais fazem a desmancha e preparação das carnes, sob o olhar vigilante do cliente. A “área frangos” oferece um extraordinário panorama sobre as carnes brancas, destacadas por um jogo de luzes e transparências bem pensado e pela presença de móveis como o BELGRADO 2, uma montra de nova geração concebida para garantir a mais completa visibilidade do produto, a partir de qualquer ponto de observação. Outra versão do BELGRADO (2H150), juntamente com o TOTEM BERLINO, está patente na área do peixe, um amplo espaço dedicado à valorização dos produtos do mar e ao seu tratamento à vista. Na área de charcutaria e queijos, a grande variedade de produtos narra a imensa riqueza de um património gastronómico que é único no mundo. A acentuar esta festa de formas e cores, os espaços amplos dos móveis OSAKA 3 e PANAMA 3 que, com sistema eco-sustentável, conjugam design contemporâneo e alta performance. A particularidade desta área é ainda o mérito da presença de uma micro queijaria que pode produzir até doze tipos de queijos diferentes. A lógica da horizontalidade e da mesa expositora aberta e facilmente acessível prevalece ainda na área dos produtos frescos da gastronomia - onde está colocado o balcão refrigerado SENDAI, amplo e versátil - na área dos ultracongelados, com o TORONTO G4 e ASTANA, e na secção dos “frescos embalados”, com o móvel semi-vertical VELDEN, pensado para promoção de vendas. Para garantir a máxima flexibilidade, todos os balcões do ponto de venda podem ser refrigerados tanto com água, através de um circuito em anel, como com ar, garantindo assim, a possibilidade de poderem ser deslocadas em ocasiões específicas durante o ano e voltarem depois ao local habitual.

O Iper de Arese é um dos primeiros pontos de venda de Itália a adotar soluções de vanguarda que permitem eliminar o uso de HFC, utilizando apenas anidrido carbónico e reduzindo simultaneamente o consumo de eletricidade. A adoção da tecnologia do estado de compressão intermédio e a utilização do ejetor múltiplo proporcionam um consumo elétrico baixo em comparação com o dos atuais equipamentos R404A ou R134a. A central frigorífica CO2 da Arneg, orgulho da empresa, desempenha portanto, um papel fundamental neste contexto: com a utilização de anidrido carbónico, o equipamento fica independente das exigentes normas europeias sobre confinamento dos fluidos HFC e inspeção periódica dos equipamentos.O esforço desenvolvido para a conceção do projeto deste equipamento faz dele um exemplo pioneiro, que será certamente uma referência para as próximas realizações de muitos agentes de mercado.

“Com esta intervenção – declarou Davide Padoa – transformámos a antiga sede da Alfa Romeo, de fábrica de automóveis em fábrica de experiências”. Uma reviravolta de caráter em sintonia com uma nova geração de consumidores e as tendências mais evoluídas do mercado alimentar. 




Partilhar: